terça-feira, 2 de novembro de 2010

Cantiga para não morrer



Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.


Ferreira Gullar, in "Dentro da Noite Veloz".

7 comentários:

  1. "me leve no seu lembrar".

    Estou com esse sublinhado e este livro na cabeceira. Só o título já vale a leitura.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Me leve no esquecimento. [2]

    Lindo :)

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. bem melhor do que o post "liberdade condicional" :)

    ResponderExcluir
  4. "me leve no esquecimento" ou como diria Mário Quintana:

    "Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho".

    ResponderExcluir
  5. Essa poesia é Bela , muito bela ...


    Só tem coisas lindas aqui.
    Te Sigo com Alegria.


    Bjo.

    ResponderExcluir
  6. Bah, Ferreira Gullar tem poemas lindíssimos. E a história desse poema então, é realmente inspiradora e marcante.
    Postarei outros aqui, pois essa obra, "Dentro da Noite Veloz", também está na pilha dos livros da minha cabeceira Vanessa!

    Lú, "ou na ausência"[2]!

    Mih, Quintana bem lembrado nessa hora!

    Ju e Vanessa, realmente não importa aonde me leve, mas apenas me leve, seja no lembrar, seja no esquecimento!

    Malu, seja bem-vinda! Obrigado!

    Beijos para vocês gurias,

    ResponderExcluir